Resenhando: Sr Daniels, da autora Brittainy C Cherry

domingo, 25 de junho de 2017


Hey leitores, como vão?

A resenha de hoje é de um livro que me deixou despedaçada de várias formas. Seja pelo drama (porque tem bastante!) ou pela invejinha (de leve, ok?) de Ashlyn ter um Daniel Daniels para chamar de seu. Aah! Quem nunca teve essa invejinha que atire a primeira pedra!

Ashlyn acabou de perder sua irmã. Isso já é péssimo. Só que a irmã é gêmea, duplamente ruim! Então Ash se sente totalmente só. (Nota da blogueira: eu imagino o quão ruim deve perder um irmão gêmeo. Ainda mais porque eles tem toda uma ligação mágica). E como nada está tão ruim que não possa piorar, sua mãe passa a "rejeitá-la". Talvez por ela ser muito parecida com a irmã? Ou por ela não ser a filha preferida? São várias os questionamentos que afligem a nossa personagem. 


Em nenhum caso ela poderia supor que sua mãe a mandaria morar com o pai que mal conhece. Em uma cidade totalmente nova. E ela ainda descobre que seu pai tem uma nova família  e que por um acaso ele "esqueceu" de informar. E é nessa viagem para a cidade de seu pai que ela esbarra com um par de olhos azuis. 

" Lindos.De tirar o fôlego. Brilhantes. Olhos azuis."

E ele a vê lendo Hamlet. E cita Shakespeare. Ela fica tão chocada (quem não ficaria?)! E os dois passam a se conhecer cada vez melhor, enquanto ela começa a realizar uma série de atividades deixadas pela irmã para que ela possa ter direito a uma carta.


Sr. Daniels é acima de tudo uma história de superação. Ahslyn sofreu tantos baques emocionais ao mesmo tempo e aconchegante acompanharmos sua capacidade de reerguer e recomeçar. Mesmo com as dificuldades. Daniel Daniels também já sofreu muito. Veio de uma família problemática. Acabou de perder o pai (depois de já ter perdido a mãe e ter o irmão preso). 

Podemos dizer que viver, para ambos, não é uma decisão fácil. E esse encontro estranho é como se uma luz tivesse sido jogada na escuridão de seus corações. Daniel vai mostrar para uma Ash insegura que ser ela mesma é sempre a melhor opção. E dane-se o que os outros pensam a respeito disso! 

" Eu não disse que seria fácil. Só disse para ir em frente. Além do mais, as melhores coisas da vida não são fáceis. Elas são difíceis, são cruas e dolorosas. Isso torna a chegada ao destino final muito mais interessante" Pag 65 

A escrita da Brittanny está ainda mais fluida nesse livro. Li-o em um dia. Os capítulos ora são na voz de Ashlyn ora na de Daniel, o que é legal para dar uma ideia do que os dois estão sentido frente aos problemas que precisam enfrentar para ficarem juntos. 

O livro está repleto de citações de Shakespeare, ou seja, preparem os post-its. Se você, como eu, sonha com um cara lindo, inteligente, sexy, ama ler, cuidadoso... Preparem os corações para o nosso Daniel porque ele é isso e muito mais! E Ashlyn também não deixa a desejar. Percebemos que apesar de sua insegurança por ser diferente da irmã, ela tem um baita gênio!

É um livro que vai te prender do inicio ao fim. Te fará rir e chorar. Se apaixonar e odiar (alguns personagens). Vai falar de luto, preconceito, superação, depressão, bullying. Complexo e apaixonante. 

E você já leu? O que achou? Se não leu, pretende?

Beijos!


Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.





Resenhando: Patria chamada amor, de Marcia Rubim

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Oiie leitores, tudo bem?

A resenha de hoje é do livro da querida Márcia Rubim e cujo livro publiquei minhas primeiras impressões (aqui). 

SINOPSE: "A grande obstinação do capitão Christiano Vicenzo é chegar ao topo máximo da carreira, ou seja, ao generalato do Exército. Para alcançar a sua meta, precisa manter uma vida pessoal e profissional irretocável.
Tudo começa a mudar quando ele serve em Niterói e conhece Nina, uma jovem com problemas sociais que ultrapassam – e muito – o que ele idealiza como protótipo de par perfeito. Fascinado pela garota, o militar decide arriscar no relacionamento, mas não imagina que, ao ser convocado para integrar a Missão de Paz no Haiti (MINUSTAH), terá sua história ao lado de Nina tragicamente desviada.
Inconformado com os caminhos que o destino escreveu para si, Christiano vai descobrir com o tempo que a maior batalha na reconquista do amor perdido talvez seja enfrentar as mágoas do passado e que a felicidade não segue regulamentos.
Um romance sensível e resistente ao tempo, que mostra que até mesmo para servir com dignidade à pátria é preciso que a pessoa por trás da farda esteja em paz com o coração."


Bom, eu tive a oportunidade de ler os cinco primeiros capítulos antecipadamente e logo me encantei pela história desses dois improváveis amantes. Márcia Rubim tem uma escrita super fluida e que te prende de jeito na história. Então logo que lançou tive que garantir o meu!

E minhas primeiras impressões não me enganaram! Os capítulos alternados entre Christiano e Nina nos permitiram conhecer melhor cada um deles e ter uma experiência ainda mais completa. Ainda mais quando os personagens começam com o pé esquerdo hahaha Sim, porque sou o tipo que se identifica mais com casais que começam assim! 

Vicenzo supôs uma vida para Nina que não condizia com a verdade e nos primeiros capítulos teremos a luta dele para se desculpar. Mas viver com um militar não deve ser fácil (não sei bem como é, mas pela minha experiência literária...). Mudanças constantes, missões de ultima hora... 

E Márcia soube dar uma chacoalhada nesse casal. A missão para o Haiti vai mexer com a história desses dois de maneira que sequer poderiam imaginar. 



O livro vai falar sobre o amor, o orgulho, superação, alcoolismo, preconceito... E eu adoro livros que buscam discutir assuntos tão importantes em meio á um enredo leve e descontraído. 

Quem nunca perdeu oportunidades pelo orgulho? Quem nunca foi preconceituoso, mesmo sem percebem? Quem nunca deixou o passado interferir -negativamente - em seu presente? Refletir sobre essas questões pode ser bem interessante :)

Beijos! E vocês, leram? Ou não? Gostaram? Conte-me!

Pátria chamada amor

Autora: Márcia Rubim

Onde encontro? Amazon (disponível no Kindle Unlimeted)
Skoob: aqui







Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.





Resenhando: o livro Horas noturnas, da autora Bia Carvalho

terça-feira, 20 de junho de 2017

Oiie leitores, tudo bem?


A resenha de hoje é de um livro que eu ainda não sei porque nunca havia lido. Fã do Sherlock como sou, o livro Horas Noturnas se revelou um verdadeiro achado. O motivo? A mistura de suspense/policial com romance. 


"Três almas unidas com diferentes propósitos. Apenas uma chance de sobreviver..." 

Joseph Lestrange deixou a polícia e se tornou um grande detetive particular. Sua filha Maryanne Lestrange é bem diferente das jovens de seu tempo. Ela tem uma mente bem aguçada para investigação e não mede esforços para tentar ajudar seu pai nas investigações. 

Quando uma nova onda de crimes assola a Inglaterra de 1863, Joseph logo é chamado para auxiliar nas investigações. A cena é para lá de peculiar. Uma jovem com marcar de violência, um vestido diferente e um bilhete inusitado. No bilhete, uma citação de Edgar Allan Poe. Estranho, não? 

Maryanne acha e pede para participar. Mal sabia ela que seu caminho acabaria cruzando com o de um tal Caçador, um justiceiro que com requintes de maldade faz justiça com as próprias mãos.  O que essas três almas juntas poderiam fazer?


Eu devo dizer que amei a Maryanne logo de cara. Ela é impetuosa, inteligente, teimosa, amorosa... Seu sonho é poder continuar nos negócios do pai e não quer saber de homem controlando-a!! Então ela bate o pé mesmo quando quer fazer algo e nada é capaz de impedir. 

Quanto ao Caçador, eu achava seus métodos um pouco cruéis, mas a autora conseguiu ir humanizando-o novamente, fazendo com que nos apaixonássemos por ele. E isso foi bem interessante de ver. Saber que aquela pessoa imersa na escuridão poderia ter luz. 

Já sou uma apaixonada pelo gênero policial e devo dizer que amei a escrita da Bia. Ela soube desenvolver a história super bem e conseguiu me pegar de jeito! Toda hora eu me questionava se estava na trilha certa dos suspeitos. E - confesso - ela me surpreendeu com o final! 


O livro é contato em terceira pessoa, o que nos ajuda a ter um panorama geral do sentimento de todos os personagens. Gostei bastante do casal protagonista. Eles tinham aquela química gigante. Eu tenho uma queda por casais que não se bicam logo de cara. Aquele ar de teimosia me traz algumas lembranças hahahaha 

Eu não conseguia parar de ler enquanto não descobrisse o que aconteceria no final :) Não posso falar muito sobre o livro para não perder a graça de tentar descobrir quem é quem!

Horas Noturnas

Autora: Bia Carvalho

Onde encontrar: Livro físico | E book | 1 capitulo | 








Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.





Lê & filmes: resenha de Mulher Maravilha

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Oiie cinéfilos, tudo bem?

Quem aqui ama uma franquia de herói? Eu (enfim) fui assistir ao filme Mulher Maravilha, o qual estava me deixando bem ansiosa. Afinal, é a primeira franquia de uma heroina e isso é maravilhoso!


O filme vai contar a história da Diana Prince, que já havia aparecido no filme Batman vs Superman e participará em Liga da Justiça. 

Diana desde pequena sempre sonhou em ser uma grande amazona, na paradisíaca ilha onde vivia. Escondida de sua mãe, ela começou o treinamento muito cedo e se tornou uma grande lutadora. Em um de seus treinos, Diana descobre um poder que a diferencia de suas amigas Amazonas. 

Tal incidente provoca uma mudança na ilha, permitindo a entrada do piloto Steve Trevor adentrasse, caindo na praia local. É através do depoimento dele que ela descobre uma guerra sem precedentes e decide ir junto dele para matar Hades. 

Diana Prince vai descobrir que o mundo dos homens é muito mais complexo do que ela imaginou. Irá muito além da interferência (ou não) de Hades. 
























O filme realmente me agradou, como poucos da DC. Apresenta uma dose ótima de humor, romance e ação, despertando cada vez mais nossa atenção. Os efeitos visuais estavam muito bons também. 

Gal Gadot se destaca nesse papel! Não tem como não se apaixonar pela mulher maravilha :)

E vocês? Já viram? Gostaram? Ou não? Quero saber!

Beijos!


Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.





Parceria!: autor Rodolfo Melo

Oiie pessoal, tudo bem?

O post de hoje é para anunciar mais uma parceria bacana que o blog fechou! Dessa vez com o autor Rodolfo Melo. Espero que gostem!

Conhecendo o autor 


Rodolfo Melo nasceu em Brasília, onde mora até hoje. É formado em Pedagogia e Matemática. Sim, mostrando que o amor pela escrita não se resume a ciências humanas, somente.
Estreou como escritor em 2013, com o livro Contos de Amor e Ódio. De lá pra cá reuniu contos, crônicas e apresenta agora, pela Editora 42, seu novo título: Meu Deus, mas que cidade linda.
Além da literatura, Rodolfo escreve sobre música, séries e assuntos variados para sites.



Obra
Meu Deus, mas que cidade linda é um livro que poderia ser descrito como uma coletânea de contos policiais, ou criminais, ou sobre a violência.
Mas, é mas um livro sobre as desigualdades sociais, sobre a ignorância humana, sobre preconceitos. E de forma crítica, muito crítica, até ácida, a cidade é linda. Dependendo dos olhos que a veem.
Nascido em Brasília, Rodolfo se tornou escritor assim, como quase todo mundo: escrevendo.
Seu segundo livro impresso traz um recorte pontual sobre a realidade brasiliense. A violência, o racismo, os medos.
Brasília é linda, viva e urbana.
E como toda cidade, guarda em seus becos, suas ruas, suas pessoas, histórias.
Aqui você a verá desnuda. Um livro de crônicas ácidas, duras, violentas e verdadeiras, marcadas pela escrita aguda de Rodolfo Melo.


Já quero ler! Gostaram?

Beijos!


Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.





Resenhando: livro O treinador do meu sobrinho, autora Vanessa Gramkow

terça-feira, 13 de junho de 2017

Oiie pessoal, tudo bem?

A resenha de hoje é do livro, recém lançado, da autora Vanessa Gramkow. 

O livro O treinador do meu sobrinho conta a história de Duda, uma mulher bem resolvida profissionalmente (grande fotógrafa), mas descrente em qualquer amor que não seja o que sente pela família: irmã e seu sobrinho. 

Aliás, seu sobrinho é uma pessoas mais importantes de vida. Fato. E agora que ele está prestes a concorrer em grande competição mundia de tênis, ela deu um jeitinho de voltar ao Brasil e fazer o book que ele tanto pediu.

É nesse evento que ela conhecerá André, o famoso treinador de seu sobrinho. Que segundo ele, é o homem da vida dela. Mas será mesmo? A vida pode reservar muitas surpresas! 




Um dos pontos altos neste livro, para mim, foi a protagonista. Duda tem uma personalidade para lá de forte. É uma mulher que se permite viver em plenitude. Se ela deseja a um homem, vai lá e dá um jeito de conquistá-lo. Humm, parece o que vemos os homens fazendo, né?

Que ela sabe sair de uma enrascada, isso sabe! Levanta o queixo, poe o óculos escuro e está pronta para enfrentar  a vida como ela é! 

Ela e o André possuem uma química boa. Apesar de ele não me cativar tanto :( 

O livro não é muito grosso, mas é cheio de reviravoltas!!! A escrita da Vanessa é bem fluida e você vai rir bastante! Indico para quem quer curar uma ressaca literária :D

beijos!


Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.





Novidade: livro Allegra, da autora parceira Andreia Evaristo

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Oiie leitores, tudo bem?

Tenho uma novidade incrível para vocês: o livro  Allegra vai ter os exemplares físicos lançados pela Editora Hope. Ah, e o digital será relançado! 


O livro Allegra: antes do play é uma releitura contemporânea do conto de fadas Cinderela, no qual uma garota gorda, baixa e pin up trabalha para as duas filhas da madrasta, que são altas, lindas e magras, com quem vai acabar disputando o coração do “príncipe encantado” – um youtuber que Allegra ainda não sabe quem é. Allegra é a prova de que há sempre um final feliz no fim da história, e que ninguém precisa mudar para conquistá-lo.

Espero que gostem!! Já estou bem ansiosa!!

Beijos!


Leatrice
Prazer, Lê! Tenho 20 anos, sou paraense mas moro em Niterói. Apaixonada pelo mundo literário em suas diversas facetas e agora uma apaixonada por fotografia.
 
© Lê e Ler!, VERSION: 01 - BOOKS - outubro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda,
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo